O pai da Bolota

Esse é mais um post da série: “a incapacidade marinística de controlar os dedos e fazer resumo”
Contém altas doses de açúcar. Diabéticos de plantão: leiam com moderação. (e perdoem a minha pieguisse. A meu favor posso dizer que são os hormônios… ou o amor).

Nos conhecemos há quase 5 anos atrás.
E quando eu paro pra pensar na nossa história, não tem como não ter aquela sensação de que tudo, realmente, acontece na hora certa. Não dá nem pra perguntar por onde ele andava antes que não nos cruzamos. Estávamos muito mais perto um do outro do que eu podia imaginar. Estudamos na mesma escola – e no mesmo turno – desde a quinta série. Ele era uma série a mais que eu e pasmem: eu nunca o tinha notado lá. Ele sim, lembra-se de mim. Mas eu não. Enfim. Os anos passaram, ele terminou o ensino médio e, no meu último ano, a minha prima (que era do 1° ano, na época), começou a namorar o irmão dele. Ou seja, primeiro conheci o irmão. Isso foi em 2007. Em setembro de 2008, depois de passar um bom tempo (desde o ano anterior) só cuidando de mim, e por eu estar sempre com a minha prima, e ele sempre com o irmão (e trabalhavam no mesmo lugar, na época), acabamos, enfim, nos encontrando. Dias depois estávamos nós quatro juntos e o então único casal dali, dois tratantes, simplesmente saíram andando e nos deixaram sozinhos. Bom, se era assim, fomos andar um pouco e acabamos entrando num museu.

Pausa pra explicar uma coisa: estávamos na cidade de Embu das Artes (SP), que é um pólo cultural, famoso pelos móveis, pelo artesanato lindo e com uma das feiras de artesanato mais famosas do país, que acontece todo domingo e lota de gente; mas durante a semana é uma cidade vazia e muito calma, delícia andar por aquelas ruazinhas, e tem um Museu de Arte Sacra dos Jesuítas, pequeno, mas símbolo da cidade. Despausa. 

O museu!

Entramos no museu e, papo vai papo vem, nos beijamos encostados numa janela, lá no 1° andar, com um jardim lindo ao fundo. Era uma terça-feira e acho que só tinha a gente lá dentro. Bom, resumindo, não nos desgrudamos mais. Foi no dia 09 de setembro. Em janeiro de 2009, eu precisava ir à Aracaju batizar minha sobrinha. Ele foi comigo. De São Paulo à Sergipe de ô-n-i-b-u-s, nada menos do que 36 horas de viagem. Dizemos que essa foi nossa primeira prova de fogo, porque realmente não é fácil enfrentar o cansaço da viagem sem matar o outro e ainda manter uma relação, e depois ficamos lá, convivendo diariamente, por uns 20 dias direto. Tínhamos 4 meses de namoro e, ainda lá, começamos, naturalmente, a fazer planos sobre um futuro casamento (!!). Foi tudo muito natural. Quanto mais nos conhecíamos, mais íamos nos sintonizando. Em setembro do mesmo ano ficamos noivos. E em setembro de 2011 nos casamos. (Só o bebê não vai nascer em setembro, rs).
Ele sempre soube do meu desejo de ser mãe, mas ambos sabíamos que ainda não era o momento. Muita coisa aconteceu e de uma forma incrível a nossa parceria só fez aumentar, mesmo nos momentos mais difíceis. Construímos uma base bem sólida pra nossa relação, eu acho, com muito respeito, muio diálogo e muito amor. E estamos sempre nos cuidando (vide o nome desse blog, que é baseado numa frase nossa, e nas nossas alianças de casamento está escrito “Por todo o nosso sempre”). Ele é um cara incrível, que respeita muito a minha forma de ser, sem me julgar nunca e sempre me apoiando. É certamente a pessoa mais tranquila que eu conheço, que nunca (eu disse nunca) altera a voz ou grita. Se ele está muito puto com alguma coisa (ou comigo), a voz é a mesma, só um pouco mais dura. Me ensinou isso também. E eu era muito ansiosa e frequentemente ciumenta e a segurança que eu adquiri ao lado dele fez com que eu me tornasse uma pessoa muito mais calma, que não pensa mais em ciúmes e que se ama muito mais, também.

Nós dois, no nosso ensaio pré-casório, em frente ao museu onde tudo começou. Foto de Vini Brandini, fotógrafo incrível.
Para ver outras fotos desse ensaio, o caminho é por aqui

Dito tudo isso, não seria muita novidade dizer que ele já tem se mostrado um pai maravilhoso.
Ele sempre foi super cuidadoso e carinhoso com crianças, mas não é de mimar. Ele tem uma irmã de 8 anos, ou seja, tem experiência no ramo e uma segurança que me acalma, confesso.
Quando ele soube do positivo, que já esperávamos, ele disse que “ficou sem chão”. Porque é bem racional e a notícia o abalou um pouco, pensando em tanta coisa que ia acontecer e que ele tinha que fazer, rs. Mas obviamente estava muito feliz!
Desde que comecei minhas leituras dentro do mundo do parto natural humanizado, leio muita coisa pra ele. Ia falando sempre o que aprendia, aos poucos, porque com alguém eu precisava conversar. E também pra ele ir se inteirando e saber das minhas preferências. No final do ano, coloquei pra ele assistir o documentário “Violência Obstétrica: a voz das brasileiras”. Peguei pesado, né? haha Mas assistimos tudo e ele ficou chocado com a situação. Mais do que nunca me apoiou e disse que faria de tudo para eu que tivesse meu parto do jeito que sempre quis. Mas também não sou tão má assim, também mostro pra ele os vídeos engraçados do Minha Mãe que Disse, pra ele entender porque eu não saio dessa blogosfera linda. Sempre o inseri em tudo, não de hoje, porque se o objetivo é formarmos uma família, a presença dele não é um detalhe.
Enfim. Eu disse ali em cima que ele sempre me apoia e tal. E agora mais uma coisa: ele banca as minhas escolhas também. Também são dele, grande parte delas. Quando fomos à casa da mãe dele logo depois do positivo, num momento em que estavam sozinhos (porque eu estava brincando com a minha cunhadinha no outro quarto), eles entraram no assunto de parto e ele contou que a minha decisão era pelo natural total, sem nenhuma intervenção, dentro do possível. E antes que ela falasse alguma coisa, ele disse “e não quero que ninguém vá falar nada pra ela sobre mudar de ideia” (nota da autora: eu só soube disso depois – e eu disse que ele não mima ninguém, haha). No trabalho foi a mesma coisa, umas colegas – adeptas da cesárea – perguntaram e ele falou, elas não falaram muita coisa diretamente, mas ele também disse algo sobre “respeitar as escolhas dos outros, pois cada um tem suas”. Ou seja, nem sei porque tenho medo do povo tentar se intrometer na criação do bebê, certamente ele não vai deixar.
Quando eu tenho medo de alguma coisa não dar certo, ele sempre me olha e me acalma muito. (e sim, quando necessário, me dá umas broncas também, rs).
Que ele esteve comigo durante o exame de sangue eu já contei. E cuida da minha alimentação. Quer dizer, da nossa: pensa muito na Bolota. Tem um super cuidado conosco.
E o que eu acho o grau máximo da lindeza: ele já conversa com a barriga. Desde o comecinho. Aliás, antes de eu fazer o teste, quando estava só desconfiada, um dia de manhã, naquele estágio que estamos quase despertos, mas ainda dormindo, ele esticou o braço e fez um carinho muito lindo na minha barriga. Foi uma certeza a mais que eu tive.
E agora é assim: ele alisa, faz carinho, deita a cabeça na barriga e começa a conversar. E o detalhe: muitas vezes nem me deixa ouvir, o papo é deles mesmo, hahaha.

E eu já estava com vontade de registrar isso aqui, e hoje resolvi colocar em prática, mesmo não sendo um data específica. Com o único intuito de registro mesmo, pra eu não me esquecer dos detalhes e para lermos juntos com Bolota no futuro. E também porque a escrita é a minha maior forma de expressão, então daqui a pouco ele vai estar lendo isso aqui também. E eu preciso dizer:

Amor, eu agradeço muito a Deus por ter feito tudo exatamente do jeitinho que foi. Obrigado por ser você, o meu amor. Pensei em escrever esse post em alguma data especial ou coisa assim, mas hoje me lembrei que não podemos adiar as nossas vontades esperando um momento ideal. Quem faz isso somos nós. E sempre é tempo de dizer o que se sente. Apesar que eu vivo te dizendo essas mesmas coisas de outras maneiras, mas você bem sabe que eu sou repetitiva. Enfim. Você tem sido incrível! Amo a nossa parceria, as nossas conversas antes de dormir – e a qualquer hora -, as nossas ideias diferentes e meio subversivas e os nossos planos que sempre insistimos em mudar. A Bolota veio para nos ensinar muita coisa, além de várias outras que ela vai fazer nessa vida. Que bom que estaremos sempre por perto, né?! Já passamos por tanta coisa juntos… tanto aprendizado, tanto amor. Nem parece que cabe tudo dentro de 5 anos (o que me faz ter mais certeza que nosso caso é mais antigo, apesar de conservarmos algumas manias de namoradinhos adolescentes). E ainda tem tanto pela frente… Só posso prometer que eu vou te amar muito, até amanhã de manhã; depois você se vira pra me conquistar de novo.
Da sua sempre,
Marina

Anúncios

22 Comentários

Arquivado em amor, bolota, coisa linda, família, ser pai

22 Respostas para “O pai da Bolota

  1. Que coisa linda, Marina! Que família linda, minha amiga. Fico emocionada com relações assim, de tanta cumplicidade, tanta sintonia.
    Adorei marido defendendo suas escolhas! Já fico o parto lindo que vocês terão.
    Bolota, sua esperta! Escolheu direitinho sua família né?
    Muitos outras cinco anos pra vocês viu!
    Beijo!

    Curtir

  2. Que lindoo Marina. Emocionante.
    Acho lindo quanto se tem essa intimidade, mas uma certa liberdade também, de cada um pensar de um jeito, mas respeitar o outro. Andrei é assim comigo também, tem muitas coisas que ele não concorda e me diz a opinião dele, mas sem me julgar. Nunca.
    Acho que hoje em dia esses “encontros de almas” são tão raros, as relações são tão superficiais, que temos que valorizar a pessoa maravilhosa que temos ao nosso lado. Alguém que nos entende, nos conforte, apoie e consiga nos deixar a vontade na sua presença. Pode parecer bobagem, mas já vi muitos casais que não são totalmente a vontade na presença do outro. Não entendo, já que sou tão “eu” na presença do meu amor hehe

    Parabéns a vocês, por terem construído uma relação tão linda e respeitosa. Merecem tudo de bom nessa vida e uma bolota bem bolotinha mesmo, pra completar tudo isso. Como disse a Nana, esse bebê escolheu muito bem a família dele.

    Beijooos pra vocês, que esses 5 anos se multipliquem pelo infinito.

    Curtir

  3. Uau!!!
    Lindo texto, LINDAS fotos, linda história!!! Mas o mais lindo de tudo é o amor e a maneira como vcs construíram e levam a relação de vocês!!!
    Muitos infinitos anos de amor e felicidades infinita pra essa família linda!
    Beijos

    Curtir

  4. Ahhh que lindo!! O amor é maravilhoso quando é assim neh?!
    Bjus
    http://seraquevousermae.blogspot.com/

    Curtir

  5. Nossa, que engraçado Má! meu marido é assim tb, coloquei ele para ver o mesmo documentário, mando imagens de parto, videos de parto humanizado e ele entendeu, ele curtiu e o que eu achei mais fofo, foi perguntar pra ele: Vc tá com medo do parto e ele responder: não, vc me passa tanta confiança que sei que vai dar tudo certo! eu quase morri de fofura! rsrs agora, ele tá numa vibe de analisar o parto alheio, a única menina q trabalha com ele e tem filho, teve um PN daqueles intervencionistas horríveis e ontem ele me falou no banho” ah, sabe a fulana, meu, fizeram episio nela, horror, né? Ela ficou puta da vida”.rsrsrs
    Essa cumplicidade do marido eu diria que é 90% de chance de um parto bem sucedido! 😀
    bjoks

    Curtir

  6. Tu coloca o aviso no início do texto e eu continuo lendo mesmo assim. Resultado: salvem esse pc que eu to me d-e-s-m-a-n-c-h-a-n-d-o! Que coisa linda, família! Que amor lindo! Realmente as coisas acontecem quando têm que acontecer. Aqui em casa é um estilo “havia a internet no meio do caminho, no meio do caminho havia a internet”. Com certeza toda a estabilidade que a gente tem é contribuição desses pais. Apesar do turbilhão hormonal, encontramos ali um discernimento, um carinho, uma segurança e piramos só dentro do permitido mesmo. Claro que Bolota recebe tudo e virá ao mundo lindamente pra completar essa trinca. <3

    Beijos e que venham todos os cinco anos do mundo!

    Curtir

  7. Que linda historia de amor esse bb tem sorte de vim de um amor assim tão forte e abençoado bjs!!!!Deus abençoe essa união!

    Curtir

  8. Mari que lindo!
    As fotos tbm estão belíssimas!
    Foi um verdadeiro encontro de almas =), muito lindo e muito legal isso de ter que conquistar o outro todos os dias!
    Parabéns pelo casamento e o amor de vocês que agora está em 3 <3!
    Bjuss

    Curtir

  9. Ah que lindo… que lindo…

    A história de vcs é linda, mas o jeito de vcs dois ainda mais!

    Sempre me pergunto o que motiva alguém a morar na casa dos sogros e penso que seu marido deve ser desses mega dedicados, que fazem de tudo pela amada…

    Imagino MESMO que ele deve ser muito bacana. E vc tbm!!!

    Beijos grandes!!!

    Curtir

  10. Adorei as fotos do noivado, adorei!!!

    Ficaram lindas, coloridas, enquadradas, tudo certinho!!!

    E deu pra ver melhor vcs!!!
    Que gostoso!!!

    Eu adoro Embu! Nunca fui com a Laura, mas fiquei com vontade…

    Beijos!!!

    Curtir

  11. Obrigado, Nana!

    Pois é, menina, ele não é de muita média com ninguém, ahhahaha

    Amém, que venham muitos 5 mais!!

    Beijão!!

    Curtir

  12. É bem isso mesmo, Ni! Pensamos diferente em várias coisas, mas nos respeitamos acima de tudo, sempre!! E claro que pensamos igual em outras tantas coisas, e assim vamos indo, haha. Me sinto muito “eu” também com ele, isso é o básico né?! rsrs

    Obrigado mesmo pelo carinho!
    Beijo beijo!

    Curtir

  13. :))
    Obrigadão, Gabi!!
    As fotos tão lindas, esse fotógrafo arrasa, ahhaha fotografou o casamento também!!

    Beijinho!!

    Curtir

  14. Muito bom mesmo! :))

    Beijinho!

    Curtir

  15. É tão bom quando eles estão na mesma sintonia, né, Carol? 🙂
    Que lindo que o seu marido é assim também!! Demais isso dele sentir a confiança em você. Diz tanta coisa ^^
    Fundamental mesmo a cumplicidade, também acredito nisso!!

    Beijão!

    Curtir

  16. hahahhahaha!
    salvou o computador? haha

    Obrigado mesmo, querida!! De coração!!

    Eles são mesmo essenciais para nos manter sãs dentro de tanto hormônio, eu acho!! :))

    beijão!!

    Curtir

  17. Amém, Naine!
    Que venha bem forte mesmo! :))

    Obrigado pelo carinho, sempre!

    beijão!

    Curtir

  18. Obrigado, Má, querida!!
    Eu adoro esse ensaio, as fotos, tudo, rsrsrs
    E também gosto dessa expressão: encontro de almas!! :DD
    É bem por aí mesmo, eu acredito…

    Super beijo!

    Curtir

  19. Obrigado, Dani!!
    Que legal ler isso!
    Sim, ele é super dedicado a mim, não tenho como negar isso, haha… assim como já está sendo com Bolota ^^ E eu também sou a ele, eu acho, rs…

    Super beijo!

    Curtir

  20. Tão liiindas, né?! Também amo!
    Eu sou louca por fotografia! Adoro fazer um ensaio, haha
    Esse mesmo fotógrafo que fez as fotos do casamento.
    E um outro fez um ensaio nosso na lua de mel, ahusahusha
    agora penso nas fotos do barrigão! 😀

    Dá pra ver melhor, sim, apesar de estarmos um pouquinho diferentes agora, hausahusa

    Vai sim com a Laura no Embu! É muito gostoso!

    Beijo!

    Curtir

  21. Lindas imagens, lindas palavras, enfim, um lindo post !!
    Tenho certeza que o bebê nascendo nesse lar de tanto amor e confiança será uma criança muito feliz!!

    Beijos

    Curtir

  22. Ei, Suzy! Muito obrigado, viu?! ^^
    Faremos de tudo para que Bolota seja muito feliz, sim!! E nós já somos muito felizes com ela, acho que só tende a aumentar, né?! rs…

    Beijinho!!

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s