14 meses de Agnes

Dia 15 minha pequena moça completou 14 meses de vida, que delícia!
E aqui eu abro um parênteses para dizer que eu nunca havia entendido o real motivo de algumas mães continuarem falando a idade dos bebês em meses, mesmo depois de já terem completado 1 ano. Agora eu sei. É porque assim ainda se parece mais com bebezinhos, uai. 1 ano e 2 meses me faz parecer mais criança, mais crescida. NÃO. Minha fofolete ainda é uma bebê de colo muito pequena e dependente e simbiótica e…

Ok, vocês venceram.
Não é mais uma bebê tãão pequena assim, vai. E nem totalmente de colo. Porque a pessoa descobriu as maravilhas que andar com as próprias pernas proporciona e está usando muito esse novo artifício.
Ela deu os primeiros passinhos com 1 ano e 4 dias, exatamente. Dava 4 passos pro Cleber, o abraçava, fazíamos festa. 4 passos pra mim, nos abraçávamos, fazíamos festa. E assim foi uns minutos, nós 3 aqui em casa a noite. Mas ela não saiu andando depois disso, não. Ficava só nos 4 passinhos mesmo, de boas, resolvendo maiores distâncias com o bom e velho engatinhar. Umas duas semanas depois é que foi se soltando mais, dando mais passos, arriscando maiores distâncias. Com 1 ano e 1 mês já estava mais desenvolta. E agora já quase corre. Vejam só:

  
Que fase mais delícia, né gente? Eu sei. Eu sei que falei isso em todas as fases, mas ah!, que culpa tenho eu se curto mesmo essa coisa de ser mãe e ver de camarote uma pessoa se desenvolver desde o princípio? Amo mesmo, não nego, tenho outro quando puder. (Calma, ainda sem planos pro segundinho, era só pra frase ficar legal, rs).

Ela entende tudo que a gente diz. Claro que a gente sabe que eles entendem, já lemos em mil lugares e tal, mas constatar assim, dentro de casa, no dia-a-dia é muito legal. Ela pega algumas coisas que a gente pede, procura, aponta. Coisa mais fofa! Isso dela entender tudo tem me feito pensar mais no que dizemos na sua frente. Porque né? Ela ainda é muito bebê, não tem filtro. Não tem como eu achar bonitinho ela entender que eu pedi a bola e achar que não vai nem ligar se me ouvir falar de problemas ou coisas mais sérias. Uma coisa que não gosto é falar dela com os outros como se ela não estivesse presente. Isso é muito comum, pelo menos por onde ando, e nunca achei saudável. Agora é trabalhar isso (principalmente nos avós), para deixar de ser trivial.

Tem se mostrado assustada em ambientes com muita gente, não é uma bebê toda dada não. Ainda permanece séria no começo, primeiro observa tudo e só depois interage e explora o lugar. Tem dias que está mais grudada comigo, tem dias que não, mas sempre fomos assim por aqui, normal.

Está com a gengiva muito inchada na parte de trás, logo logo vem mais dentes por aí. Por enquanto, continua com os 8 que já tinha antes de 1 ano. Ela já coça, já está meio irritada, mas ainda não rasgaram. Que lamento essa demora!

“má”, que todo entende como “mãe”, é usado pra minha mãe quase sempre. Mas pode ser para qualquer pessoa que ela queira chamar ou mostrar alguma coisa.
Pra mim é sempre “mamã/mamá”.
O pai continua sendo “dadá/tatá”, as vezes “baba”.
“Bobô”
para vovô e bobó para vovó.
Áu-a” é água.
teté” é tchau – com mãozinha e tudo.
au-au” é cachorro. Ela aprendeu ouvindo os latidos, não fui eu que ensinou assim, rs.

Aliás, como ela gosta de cachorro. E de pombos. Pira quando vê algum pela rua, é muito bonitinho.

Está aprendendo a chutar bola, mas ainda prefere trazer e jogar pra gente com a mão, haha.
Aprendeu a abraçar uma bonequinha que ela ganhou recentemente. E as vezes anda com ela pela casa segurando na mão. Muito amô!!
Quase não tem brinquedos. Eu não compro e não ganhamos muito, por incrível que pareça. Acho que ela tem mais livrinhos do que brinquedo mesmo, ou pelo menos um número bem próximo das duas coisas. Mas o que inventamos de brincadeira não está escrito. Sempre uma novidade pela casa.

Continua adorando tomar banho. Agora já até toma em pé comigo no box, fora da banheira, hehe. Mas não é sempre, não, ela gosta de brincar na água.
Come feito passarinho, pequenas quantidades. Mas come, pelo menos isso. Quanto a isso estou tranquila. Já introduzi algumas coisas com leite e derivados e está tudo bem, graças a Deus. Já percebi que ainda existe uma sensibilidade, não dá para oferecer vitamina todo dia, por exemplo. Ou mesmo muito em um dia só, porque o intestino fica mais solto. Mas pão de queijo ela adora e nunca deu nada. O jeito é ir observando e indo devagar mesmo, sem pressa.

Ai, muita coisa.
Como eu disse, estou amando essa fase. Muitas descobertas, muito aprendizado, muita farra.
Queria guardar tudo num potinho mágico. Ter filhos é muito bom!

  

Anúncios

1 comentário

Arquivado em Sem categoria

Uma resposta para “14 meses de Agnes

  1. Ai que lindeza essa Agnes gente!
    Desbravando o mundo com toda coragem! E a mamãe só babando e guardando cada segundinho né?
    Muitos e muitos meses de Agnes bebê, pra criança ser a mais alegre de todas e a gente continuar aprendendo muito, do lado de cá.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s