Tempo e maternidade

Desde que me tornei mãe, venho aprendendo que nem sempre é simples conciliar todas as demandas dentro de um mesmo dia. São os cuidados com o bebê, o trabalho, a casa, a vida social, nós mesmas. Várias coisas, muitos papeis, diversos afazeres. Por mais que exista o cuidado compartilhado com o pai, por exemplo, e mais o auxílio da boa e necessária rede de apoio – avós, tias, vizinhos etc – ainda parece que a conta não fecha. Não sei se é culpa do capitalismo, uma característica dos tempos atuais, de tantas distrações, da nossa geração ou se é o alinhamento planetário, o fato é que não é raro encontrar mães com dificuldade para lidar com todos os pratos que precisam e/ou queremos manter no ar.

Como conseguir ter tempo pra tudo?
Como conseguir conciliar a maternagem com as outras atividades do nosso dia-a-dia?

Muitas vezes me fiz essas perguntas. Muitas vezes deixei de fazer algumas coisas porque achava que não ia dar conta de mais uma tarefa. Aí então, quando a pequena fez 1 ano e o  (meu) puerpério foi chegando ao fim, fui olhando ao redor e percebendo que a nossa rotina precisava de uns ajustes. Eu digo que pra mim foi mais “complicado” me adaptar à vida assim mais dividida do que no pós parto imediato, porque naquela época tudo que eu precisava e queria fazer era me entregar e me conectar com a minha filha. Agora que já crescemos um pouquinho, temos necessidades diferentes e nem sempre consigo atender nós duas de forma totalmente satisfatória. Tive que aprender a conciliar mesmo. Ainda estou aprendendo.

Optamos por não colocá-la na escolinha por hora, o que significa que ela está com a gente o dia todo, todos os dias. Além do mais, agora meu marido tem mais compromissos profissionais fora de casa, o que quer dizer que ele só assume o comando durante poucas horas, comparado a antes. Meus pais trabalham o dia inteiro, só chegam a tardinha e, no mais, não tenho muita gente pertinho. Para chegar até minha prima ou minha sogra são uns 15km de casa, ou seja, não dá pra ser todo dia. Então eu me vi o dia todo com uma pequena pessoa em casa, querendo brincar o dia inteiro, e ainda tendo que cozinhar, manter a casa minimamente arrumada e com várias ideias para escrever e colocar em prática. E ai, como eu faço?

A primeira coisa que eu fiz foi observar nossos dias como estavam, pra ver o que podia ser melhorado, o que podia ser descartado e o que precisava ficar. Eu não funciono bem com rotinas fixas, então não temos uma, simples assim. É importante definir as prioridades. Não adianta querer abraçar tudo sozinha, porque é estafante demais, além de impossível. Nem sempre a casa vai estar linda, nem sempre vai ter variedade no almoço, nem sempre vamos brincar a tarde toda lá fora e nem sempre vou conseguir sentar pra escrever. Aceitar isso já tira um peso e tanto das costas.

Depois disso, passei a realmente fazer o que eu tinha e queria fazer sempre que possível – e fazer surgir esses momentos possíveis. Ou seja, quando ela dorme e quando está com os meus pais. Nesses momentos eu acabava me distraindo muito e ia procrastinando na internet, ou fazendo coisas em casa que podiam esperar e quando via, lá estava a pequena acordada ou me chamando, e eu ficava sem fazer o que tinha em mente. Decidi que a soneca da tarde é, em primeiro lugar, pra ler e estudar. Quando ela está brincando com os avós, eu escrevo e descanso um pouco. Dependendo da demanda, ela fica com o pai a noite para que eu escreva. E no sono da noite, é o nosso tempo de casal.

Quando passo o dia todo com ela sozinha, intercalo as atividades. Percebi que quando tentava fazer minhas coisas com ela acordada, ela se estressava pelo tempo que eu “me ausentava”. Só que se eu não faço nada, quem se estressa sou eu, rs. Então estamos fazendo assim. Depois do café da manhã a gente sai pra brincar lá fora. Voltamos, faço almoço, ela brinca por perto, comemos juntas; brincamos com algo em casa e depois ela dorme. Aí é o tempo pra mim. Quando ela acorda, lanchamos e eu tento seguir o que estava fazendo, geralmente ela está tranquila quando acorda e brinca sozinha. Depois dou atenção pra ela. E assim vamos, um pouquinho pra mim, um tanto pra ela.

Não tem fórmula mágica, sabe. Não tem dias perfeitos. Mas tem a gente seguindo juntas fazendo o melhor que podemos com o que temos no momento. E está tudo bem assim.

E por aí, como tem sido essa questão?

Anúncios

1 comentário

Arquivado em Sem categoria

Uma resposta para “Tempo e maternidade

  1. Eu sinto muita dificuldade em criar uma rotina na minha casa, eu trabalho e quando eu chego as vezes quero fazer mil coisas, e nos fins de semana tento ficar mais com ele. Não é facil não. Gostei do seu post.
    Bjão.

    https://ilanahonoratoblog.wordpress.com/

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s