Arquivo da tag: mesversário

15 meses

Semana passada fofolete completou 1 ano e 3 meses e, já do primeiro para o segundo dia, senti uma diferença.
Fiquei pensando se existe algum salto de desenvolvimento mais punk nessa fase, cheguei a dar uma procurada, mas tudo por alto, porque realmente não tive tempo nem muita disposição, confesso. Pode ser que muitas pessoas não tenham voltado para contar história, mas eu digo: ele existe.

Há um ano atrás vivíamos o salto dos 3 meses, tão falado na roda materna, tão temido. Realmente, ela demandou muito na época, mas o tempo ameniza tudo, não é mesmo? Um ano depois estamos aqui na mesma vibe, só que com o adicional da pequena pessoa já andar e demonstrar com mais clareza suas vontades.

A primeira coisa que mudou foi o sono.
Agnes dorme bem de noite. Pode me dar um baile e brigar para dormir, mas quando apaga não desperta mais, só pra mamar 1 ou 2 vezes (ou 3 ou 4, hahah), dependendo do dia, mas não chega a acordar, já que dormimos juntas. Foi só completar 15 meses que ficou com o sono super agitado, resmungando, chamando mamã-mamã-mamã num looping sem fim, só que dormindo. Teve dias que até acordou (ontem, por exemplo) e só dormiu depois de umas duas horas. Teve um dia que só dormiu quando o Cleber deitou com ela na cama, abraçado. Sem contar que com essa mudança, vários ela só está fazendo 1 única soneca durante o dia, o que acho pouco pra ela ainda. Mas ela não dorme, não tem jeito, é uma só e pronto. Quando o sono altera assim, sei que vem coisa nova pela frente.

E está vindo mesmo, cada dia parece que ela aprende uma coisa nova, uma riqueza só. Já consegue falar o som do v, e ela mesma fala quando acaba a comida do prato ou a água do copo: vira as mãozinhas pra fora e diz “abôôô”. Se recosta no sofá 2 minutos, tipo descansando, depois desce e vai pro mundo de novo. Está com um entendimento bem grande do que a gente fala pra ela. Do tipo: filha, leva essa sacolinha pro papai. E ela pega a sacolinha e leva pra ele. E vai mostrar a roupa pra ele quando eu a troco, ou vice-versa. Pede pra colocar o sapato quando quer sair. Tem tentado falar várias coisas, repetindo a gente. Espeta as frutas com o garfo (comigo ajudando) e come sozinha.

Cheguei a ler em um grupo esses dias que é por essa idade que tem um salto em relação a memória deles. Não sei explicar (hahaha), parece ter algo a ver com memória implícita e explícita, só sei que hoje saímos marido, meu pai, Agnes e eu. Depois, deixamos meu pai no trabalho e viemos pra casa, ela dormiu no caminho e acordou só bem depois, quando já estávamos em casa. Ficou a tarde toda chamando vovô, como se tivesse lembrando que ele estava com a gente antes. Não sei se faz total sentido, vou procurar mais sobre o assunto, mas deve ter mesmo muita coisa acontecendo dentro da cabecinha dela, há que se ter muita paciência e dar o espaço necessário para esse bando de informação se acomodar lá dentro.

Além disso, tem descoberto, ainda mais, que existe um tal de limite que atrapalha muito suas vontades, rs. Aí, quando contrariada, abaixa no chão e grita ou chora. Quando está cansada, chega a deitar no chão. Bem aquela cena que a gente nunca quer que os filhos façam, sabem? Fica realmente muito chateada, e desde já temos desenvolvido nossas “técnicas” e jeitos de lidar com isso. O legal é que eu já conheço seus sinais, então se ela puxa o cabelo de alguém (meu, da minha mãe), sei que está com sono. Se grita mais ou se estressa, pode muito bem ser fome.

E assim vamos, um dia de cada vez.

Mais alguém sentiu uma virada com os pequenos nessa mesma fase?
Venham, vamos todas nos abraçar!! \oooooo/

 

Anúncios

1 comentário

Arquivado em Agnes, desenvolvimento

8 meses da menina serelepe

Gente, 8 meses! Dá pra acreditar?
Minha nenenzinha, pituquinha, pinguinho de gente completou, nesse domingo (15), 8 meses. Que coisa mais delícia da vida!! E ela pula, grita, conversa, engatinha, faz chamego. Que fase mais gostosa!!

Sim, acho que o tempo tem passado rápido, nem me fale. Mas também tenho curtido muito. Não é exatamente “onde eu estava que não vi o tempo passar?”. Porque eu sei. Estava exatamente aqui, com ela, curtindo as dores e as delícias de ver uma pessoinha se desenvolvendo tão lindamente.

Isso explica os meus escassos posts por aqui, inclusive. Tenho ligado muito pouco o computador. Do celular eu vejo o face (pouco), instagram, e-mail e whatsapp (que mais leio do que respondo, rs). Simplesmente não dá tempo de parar pra responder muita coisa ou fixar a cabeça pra escrever, sabe? Ok, pode ser um tanto de lerdeza também, mas né?! os neurônios se vão na gestação e parece que não voltam tão cedo. Sem contar que agora a pessoinha em questão é muito da curiosa, com umas mãozinhas inquietas e muito rápidas. Se eu estou no computador ela pre-ci-sa saber o que eu estou fazendo (leia-se: vir até mim e bater com muita força no teclado). Muito inviável, rs. Então eu mexo quando ela dorme ou quando está com o pai ou com os avós. Isso nos dias (momentos) mais tranquilos, porque nesses mini intervalos eu ajeito a casa e tudo mais – aquele serviço que nunca acaba, vocês sabem.

Por falar em vir até mim, agora ela engatinha por toooda parte. Coloco ela sentada com os brinquedos em volta lá na sala e vou pra cozinha (que aqui é do tipo americana). Quando vejo, ela já está chegando em mim, pronta pra me ajudar na arrumação – só que ao contrário. Ela tem ficado rápida nisso. No começo ela se arrastava, agora já vai direitinho, do jeito “clássico” mesmo. Daí para, senta, balança os bracinhos, olha qual vai ser o próximo alvo e vai de novo nesse looping. O alvo em questão pode ser um brinquedo, uma tampa de panela, um pote, os dvd’s no rack, enfim. Infinitas possibilidades. Até as proibidas e, claro, mais atraentes, que vão diretamente pra boca, se a gente bobear: papel, sapato, cabo do computador ligado na tomada, tomadas propriamente ditas(!). E, acreditem se quiserem: o tapete de eva. Comprei um tapete pra ela, para “amortecer” possíveis quedas, quando ela ainda estava meio bamba. As peças se encaixam e tem uma “moldurinha” em volta. Pois não é que ela arranca a bendita e põe na boca? E com os dois dentes que já cresceram ela consegue arrancar pedaço. Não que isso tenha acontecido, claro. Nem que quando o Cleber viu arrancou um pedaço laranja da boca dela. Não. Muito menos que saiu um pedacinho na fralda no dia seguinte. Nunca! Jamais eu deixaria isso acontecer com a minha própria filha. Né?

Achei que vinha mais dente por aí (até postei algo lá no face), mas até agora nada. Ela ficou febril, babando muito, irritada, com o intestino mais solto, mas nenhum dente dignou-se em aparecer. Então tá, né. Esperemos por eles, quando resolverem. O que veio na sequência foi uma gripe chatinha, que pegou nós três aqui em casa, mas nada grave. Ah! Agora ela já tenta ficar em pé, apoiando no sofá ou na gente mesmo. Fica toda feliz quando levanta, só que ainda não tem muita força pra se manter em pé. Mas me diz: pra quê essa pressa, minha gente? Quero ela bebê por muito tempo ainda, haha. E descobriu que é muito legal brincar com as panelas, oh god! E ó, nem tô reclamando, porque enquanto é novidade, ela fica lá entretida por uns, sei lá ,10 minutos analisando a frigideira. Nesse meio tempo consigo fazer ~mil coisas~ :p

E assim a vida segue. Tem dias que tudo sai até que direitinho, dada a circunstância do meu dom de nunca fazer o programado. Tem dias que caos parece ser a palavra que chega mais perto do que é a minha casa. Tenho certeza que esqueci de falar algumas coisas sobre ela, mas tudo bem. Se lembrar, eu volto.

6 Comentários

Arquivado em Agnes, desenvolvimento

7 meses!

7 meses de Agnes.
E posso falar? Estou apaixonada pela minha filha. Eu sempre lia sobre essa tal de paixão, as mães dizendo que é uma coisa de doido mesmo, e acho que não conseguia mensurar muito bem (e realmente, não dá pra mensurar). Mas ah gente! Eu tô apaixonada por ela. A amo faz tempo, sabe. Mas parece que a medida que a relação vai sendo construída, em que o tempo vai passando, as coisas vão fazendo muito mais sentido aqui. Algumas vezes ela me olha de um jeito TÃO lindo e tão intenso… e ali eu vejo que sim, tinha que ser ela. Não havia outra forma de ser. E eu realmente sou muito feliz com ela. Ai como eu tô sentimental, rs. Mas eu sou mesmo assim, né? Vocês já sabem. E gosto de registrar tudo, acho importante e divertido pra ler no futuro 😀

Por falar em registro, deixa eu contar o que ela anda fazendo por aqui. Tá uma danadinha linda, essa minha pequena (eu nunca disse, acho que vocês devem saber, mas vou escrever dessa vez: essas coisas que escrevo é pura e simplesmente para guardar lembranças dela para posteridade, nunca para mostrar o que ela faz ou não comparando com outros bebês. O tempo é um fanfarrão e as vezes esconde minha memória, então faço minha parte para alguma eventualidade 😉 ). Enfim, vamos lá:

– não sei peso nem tamanho. #menas Mas creio que não engordou muito do mês passado pra cá, coisa de poucas gramas, eu acho.
– fica sentada de boas; inclusive consegue se equilibrar e voltar pro eixo quando vai tombar, mas claro que ainda rola umas quedinhas vez ou outra;
– tá indo da posição sentada para de engatinhar;
– e da de engatinhar (ou barriga pra baixo) ela tá quaaase conseguindo voltar pra ficar sentada, mas ainda fica meio torta, rs (edição: Conseguiuu ficar sentada exatamente ontem, no dia que fez 7 meses, hahahaha);
– e sobre o engatinhar de fato, ela fica na posição e indo pra frente e pra trás, se balançando sem sair do lugar, aí estica o braço pra alcançar o que quer e se joga pra frente num impulso e assim por diante; é assim que ela chega em todos os lugares, hahaha;
– faz barulho de beijo, mas sem o biquinho, sabem? Morro de amor quando ela faz isso!! (não é sempre)
– continua amando que pulemos com ela, animadíssima, essa minha filha;
– tem dias que tá mais meu grudinho do que outros;
– tem um sorriso delicioso, mas só às vezes é que gargalha;
– faz umas carinhas e expressões muito fofas;
– adora uma farra;
– mas quando chega num lugar novo, ou quando vê alguém que não conhece ou vê pouco, é (bem) séria;
– dorme com música;
– mama pegando no meu rosto e no meu nariz ❤ ;
– a introdução alimentar está indo a passos lentos, mas tá indo. Ela parece aceitar mais as frutas do que a comida;
– tem 2 dentes em baixo. Uau, quase me esqueci de contar essa! Rs. Foram alguns dias de muito choro, irritação, colo e mão na boca. E daí saíram os dois ao mesmo tempo.

Muita coisa. Tenho certeza que devo estar esquecendo várias coisas, mas como estamos viajando, depois eu atualizo – e depois volto pra contar como foi.

IMG_5986.JPG

1 comentário

Arquivado em Agnes, desenvolvimento

2 meses

Minha fofolete completa 2 meses hoje e não poderia deixar de vir aqui registrar como está o seu crescimento.

– tivemos pediatra semana passada, e estava pesando 5,120 kg e medindo 58cm;
– agora gosta de ficar deitada na cama “conversando” com a gente e mexendo as perninhas freneticamente – coisa mais linda da vida – é angububuuu o dia todo;
– agora alguns sorrisos são com barulhinho também – a primeira vez que ela fez isso quase surtei de alegria;
– usa fralda M (!!)
– alguns bodies e calças também são M – os rn’s já perdeu todos;
– pasmem: não gosta de usar fralda de pano todo o tempo. Ainda estou digerindo isso e tentando entender, depois vejo se escrevo mais sobre o tema. Por enquanto seguimos intercalando e acho que tô descobrindo um jeito que ela curte mais,  que é o recheio dentro do bolso mesmo, nada de capa por enquanto;
– tem dobrinhas deliciosas;
– já vira de lado algumas vezes;
– olha tudo, é super super atenta a mudanças de ambiente, luz, nos acompanha com o olhar;
– aumentou um pouquinho os intervalos entre as mamadas;
– não gosta de banho a noite – descobrir isso reduziu 99% dos choros noturnos. Adiantamos o banho pro fim da tarde e tudo certo;
– na verdade, não gosta de rotina pro sono, fica brava mesmo. A única coisa é que tenho que ir pro quarto cedo com ela, pra não ter os estímulos do restante da casa. Mas ela dorme quando quer (e sim, tá fazendo seu próprio padrão);
– tem aceitado dormir mais no bercinho (porque antes de fazer 1 mês era só colada em mim). Dia desses dormiu de meia noite às cinco lá, mas em geral fica umas 3 horas e pouco. Mas óbvio que não é todo dia – e não estou com a mínima pressa;
– não é muito chegada a muvucas e falatório, gosta mesmo de mais tranquilidade;
– se alguma coisa incomoda – frio, calor, fralda suja, vento na janela, galo cantando (literalmente, essa aconteceu ontem no Parque da Água Branca, que tem galos e galinhas, haha) – coloca a boca no mundo sem cerimônia, chora alto pra dedéu, rs.

Ai gente, sério, tô apaixonada por ela. Tipo muito apaixonada mesmo, encantada. Tem dias que são muito cansativos, porque ela só quer o meu colo e o mamazinho amado (na verdade, ela fica pouco no colo de outras pessoas, preciso estar sempre por perto, mas alguns dias realmente só eu mesmo), e eu mal consigo tomar banho ou fazer xixi, sério. É uma entrega imensa. Mas mesmo com essa parte mais cansativa, tô amando ser mãe.

E que venham mais muitos meses desse amor doido que toma conta da gente.

9 Comentários

Arquivado em Agnes, amor